O ser humano tem buscado a si mesmo?

Essa pergunta levou-me a me situar em várias épocas da humanidade, tentando delinear o caminho que o ser humano traçou na busca de algo.

O que o ser humano tem buscado ao longo das épocas?

Tem buscado a paz, a felicidade e a sabedoria.

Tem o ser humano encontrado a paz?

Pelo que se verifica no panorama mundial, podemos concluir que não; que, infelizmente, há guerras de toda ordem na face do planeta.

E a felicidade?

Embora seja uma aspiração presente no gênero humano, não podemos também afirmar que hoje o homem é mais feliz do que ontem.

E a sabedoria?

Ao longo das épocas, tem-se feito grandes esforços para alcançar o saber! E a busca do saber levou o ser humano a grandes conquistas que marcaram a sucessão de épocas, melhorando as condições da vida humana. Vejam:

  • Fogo – Escrita
  • Roda – Bússola
  • Pólvora – Telescópio
  • Telefone – Televisão
  • Comunicação sem fio – Internet

Mas, pelo panorama mundial, poderíamos concluir que há realidades que ainda clamam por serem atendidas, realidades voltadas ao próprio ser humano em si!

O ser humano busca a si mesmo? Eu tenho buscado a mim mesma?

Revendo a minha trajetória de vida, verifico que algumas perguntas têm sido minhas companheiras de sempre, inquietando-me permanentemente:

Quem sou eu? De onde vim? Para onde vou?

O que traria de novo a Logosofia para satisfazer a busca de mim mesma?

Deparei-me com uma realidade apresentada pela Logosofia que até então ignorava completamente: a existência do mundo interno, do mundo que se propaga dentro de cada um de nós.

A Logosofia tem me levado a constatar que o ser humano é um ser precioso, que dentro dele há um mundo maravilhoso, dotado de uma inteligência, de uma sensibilidade e de uma natureza espiritual que responde ao significado do homem na Terra.

Se desconhecermos essa realidade, essa riqueza que trazemos como um potencial estático, como usá-la quando as circunstâncias da vida nos exigirem?

A busca de si mesmo está representada no trabalho, no lapidar-se, sendo o escultor da matéria prima que se encontra em cada um, forjando a imagem do ser que gostaria de ser.

Essa possibilidade está presente em todos os seres humanos!

O conhecimento de si mesmo implica realizar um processo de evolução consciente, tornando-se responsável por todas as mudanças que vamos imprimindo no próprio ser!

É de fato algo extraordinário vencer os traços negativos da própria psicologia, fazendo surgir, em seu lugar, as virtudes humanas.

Logo nos meus primeiros passos no estudo e prática da ciência Logosofia, fui experimentando uma alegria intensa! A alegria de comprovar que eu estava diante de todas as possibilidades humanas! Que eu poderia ser o que sempre quis ser! Que eu poderia tomar as rédeas de minha própria vida e ser dona de meu destino!

Aos poucos a confiança em mim mesma foi se fazendo cada vez mais presente! É uma sensação de liberdade plena, de expansão!

Hoje, é uma grata e especial alegria olhar para trás e rever a minha trajetória de vida, entrelaçando os fatos entre si, alcançando maior consciência da vida já vivida!

Experimentar a felicidade de tê-la vivido com o meu melhor possível, de ter aproveitado as oportunidades de aperfeiçoamento, de ter mudado – e ainda estar mudando – o meu perfil psicológico, dando nascimento a um novo ser!

Um dia desses, alguém me perguntou: O que representa a Logosofia para você? Eu, diante de algo tão grande, diante de tantos anos de vida voltada a conhecer a mim mesma e a evoluir de forma consciente, apenas respondi: “Logosofia é o sol que tem me tirado da escuridão, que tem iluminado o meu caminho!” Hoje eu ainda acrescentaria: “A Logosofia me permite buscar a mim mesma e saber de fato quem eu realmente sou!”.

Você também pode gostar de: