O que é Logosofia? Uma religião? Uma corrente filosófica? Sabemos que costumam surgir perguntas como essas na mente de quem ouve falar pela primeira vez desta Ciência, ou até mesmo na mente daqueles que já receberam alguma informação direta sobre ela.

A verdade é que a Logosofia é tão ampla que pode ser classificada de várias maneiras. É simultaneamente uma ciência original com um método específico de aplicação, uma concepção sobre a existência humana e o Universo, um estudo prático para a evolução do indivíduo e muito mais.

O reconhecimento dessas características é também possível devido a uma sólida estrutura institucional que permite a experimentação da Logosofia por pessoas de diversas idades e localizações, além de favorecer sua divulgação à sociedade.  

Aproveitando a ocasião dos 92 anos de seu lançamento no mundo, em 1930, preparamos este conteúdo e uma série de outros, que vamos compartilhar ao longo da página, para que você se junte a nós em um sobrevoo pelas várias dimensões que compõem a Obra Logosófica.

Queremos favorecer que você compreenda com clareza o significado da Logosofia e como pode ser útil para a humanidade, com informações, palavras do criador da Logosofia e relatos daqueles que a praticam atualmente no Brasil e no mundo.

Vamos lá?  

Uma nova forma de sentir e conceber a vida

Os conceitos têm um poder impressionante para a vida humana. Eles representam as perspectivas que uma pessoa adota diante das situações que ocorrem com ela e com as demais.

Surgem, portanto, algumas perguntas estimulantes:

  • De onde vêm as definições que movem as atitudes de cada um?
  • O indivíduo deveria escolher por conta própria os conceitos que embasam sua vida, a partir de reflexões conscientes? Ou simplesmente se conformar com os que valem para a cultura ou a época em que vive?

A Logosofia faz a todo ser humano o convite de pensar ativamente sobre os conceitos com os quais tomou contato desde o início da vida e que, em geral, são admitidos como corretos.

Para sustentar esse processo de revisão, apresenta um conjunto de novos conceitos sobre os grandes temas da existência humana, como:

  • Deus;
  • Universo;
  • ser humano;
  • espírito;
  • consciência;
  • tempo;
  • mente;
  • sentimentos;
  • e outros.

Se quiser conferir a síntese desses conceitos e de outros, veja esta página que descreve os princípios logosóficos.

Juntos, os conceitos propostos por González Pecotche compõem a concepção logosófica e formam um todo indivisível.

Todos os conceitos estão ligados entre si e trazem indicações que respondem ao mesmo objetivo principal: o de favorecer a evolução consciente do indivíduo nos diversos campos da sua vida.

Veja algumas palavras do autor sobre essa questão, em um trecho do livro “Exegese Logosófica“:

A sabedoria logosófica se caracteriza por sua originalidade, ao trazer como mensagem uma nova geração de conhecimentos relacionados com a vida interna do ser humano, seu processo de evolução consciente e as projeções metafísicas de seu espírito.

Porém, o caminho oferecido pela Logosofia para a conquista desse nobre resultado exige uma experimentação constante e detalhada dos seus conceitos.

Sem praticá-los com sinceridade na própria vida, não é possível extrair deles nenhum benefício real.

Essa premissa é, inclusive, a razão primária que qualifica a Logosofia como ciência, já que tem como pilar um método específico de aplicação.

Afinal, não há evolução sem mudanças, e a concepção logosófica foi feita exatamente para guiar de forma concreta essa série de transformações internas.

A partir delas, o indivíduo também aumenta sua capacidade de colaborar com a construção de um mundo melhor

Veja o relato de Gisela Abramo, docente da Fundação Logosófica de Goiânia, sobre esse ciclo virtuoso de mudanças:

06:15 1546

Mais que um autor, um exemplo de docência: algo sobre González Pecotche

A melhor maneira de conhecer um autor é analisar suas obras com atenção. Partindo desse princípio, a imagem de González Pecotche ganha contornos bastante autênticos.

O primeiro aspecto que chama a atenção sobre a sua figura é a variedade de formatos e estilos literários aproveitados para transmitir os conhecimentos logosóficos.

Alguns exemplos:

  • Intermédio Logosófico: conjunto de fábulas e contos, ricos em analogias e cenários que expressam orientações sobre a conduta humana ideal;
  • Deficiências e propensões do ser humano: livro dividido em capítulos sobre cada uma de 66 deficiências e propensões psicológicas que afetam o indivíduo, e a forma de cultivar valores opostos a essas forças nocivas ao aperfeiçoamento humano;
  • Bases para sua conduta: série de sugestões e ensinamentos enviados pelo autor ao seu próprio filho na época da sua adolescência, que apresentam atitudes certeiras na preparação do ser humano para os desafios da vida.

Essa diversidade de formatos tem o objetivo de favorecer o contato de diferentes perfis psicológicos com a Logosofia, já que cada leitor tem suas preferências e facilidades. Fica demonstrada, assim, a enorme capacidade de expressão do autor.

Outra de suas características marcantes é o uso de técnicas e recursos docentes que simplificam a assimilação de conceitos tão profundos, como as imagens analógicas.

Veja uma delas, lançada por Pecotche para definir os próprios conhecimentos logosóficos, no livro “Diálogos“:

Para maior compreensão, apresentarei uma analogia; preste bem atenção nela: os ensinamentos logosóficos são como a água cristalina que flui de um lençol fecundo. De um lado, levam consigo a força fertilizante, e, de outro, saciam a sede. Não deixe que essa água se estanque em sua propriedade, pois você correria o risco de converter em lamaçal o que deveria ser vale fecundo.

Por fim, um destaque especial para as atividades docentes exercidas pelo autor da Logosofia, voltadas para ajudar os seus estudantes a compreender a fundo os conceitos dessa ciência e para poder praticá-las com efetividade na vida.

Em vez de se conformar com a escrita de todos os livros e artigos que publicou, González Pecotche se dedicou integralmente a deixar bases permanentes para o avanço da Logosofia.

Criou toda uma escola de aperfeiçoamento humano — a Fundação Logosófica —, em que há um ambiente ideal para a prática dos valores e conhecimentos propostos por essa ciência.

Além do mais, Pecotche estabeleceu diretrizes claras para que o estudo individual e coletivo de Logosofia fossem inseparáveis como os dois lados de uma mesma moeda.

Assim, cada estudante se sente estimulado a realizar mudanças profundas na própria vida e compartilhar com os demais colaboradores os seus resultados, gerando um ciclo virtuoso de evolução no qual todos os integrantes participam e recolhem os benefícios.

Os estudantes de Logosofia vão criando um verdadeiro vínculo mental e sensível com o autor, à medida em que conquistam realizações em seus processos de estudo.

Quer conhecer ainda melhor o autor da Logosofia e sua história? Recomendamos que acesse nossa página completa sobre ele, com mais informações.

Pedagogia Logosófica: as bases de uma formação moral e espiritual completa

Agora que descobrimos mais detalhes sobre a história de González Pecotche, pode aparecer uma questão: por que e como surgiu na mente dele a aspiração de criar uma ciência como a Logosofia, e trabalhar em sua expansão por mais de 30 anos seguidos?

O autor relata que via com muita preocupação as falhas conceituais e metodológicas das instâncias educativas de sua época, identificando que não havia nelas uma capacidade real de desenvolver o ser humano nos aspectos moral, psicológico e espiritual.

O nascimento da Logosofia representou, portanto, uma iniciativa de resposta a essa lacuna generalizada, com a proposta de favorecer a reeducação integral do indivíduo com base no conhecimento profundo de si mesmo.

A lista dos sete grandes objetivos da Logosofia, indicados no livro “Curso de Iniciação Logosófica”, confirma esse compromisso com a preparação interna do ser humano. O sétimo deles, em especial, merece menção direta:

7) O desenvolvimento e o domínio profundo das funções de estudar, de aprender, de ensinar, de pensar e de realizar, com o que o método logosófico se transubstancia em aptidões individuais de incalculável significado para o porvir pedagógico na educação da humanidade.

Por esse motivo, a Logosofia também pode ser definida como uma pedagogia original, já que a aplicação de sua concepção e técnica leva ao aprendizado de uma nova forma de viver, que cada um pode ensinar aos demais de acordo com o próprio progresso.

A amplitude da pedagogia logosófica permite que ela seja praticada por pessoas de todas as idades, profissões e localizações geográficas.

Seus princípios são apresentados a crianças e adolescentes nos Colégios Logosóficos, o que veremos melhor em instantes.

Jovens e adultos podem praticá-los ao tomar contato com os livros, disponíveis digitalmente e em livrarias, e com as sedes da Fundação Logosófica, espalhadas pelo Brasil e pelo mundo.

Aprendendo a ser melhores do que si mesmos, tornam-se capazes de ensinar seus filhos, amigos e familiares a descobrir as vantagens desse processo.

Mas quais são efetivamente as características fundamentais da pedagogia logosófica? Parte da resposta está nesta passagem do livro “Introdução ao Conhecimento Logosófico”:

O conhecimento sozinho, sem o auxílio do afeto, torna-se, no que diz respeito a seu conteúdo específico, frio e insensível para a mente humana. A Logosofia produz justamente a fusão perfeita dessas duas forças: uma, estimulando poderosamente a inteligência; a outra, fortificando em alto grau os sentimentos do homem. Isso é o que contribui para aliviar as árduas horas de trabalho, pois, enquanto o estudo, a investigação e a realização podem causar alguma fadiga, a força do afeto as mitiga e as suaviza e, unidas, mantêm vivo o entusiasmo que cada um alenta no interno de seu ser.

Os traços marcantes dessa nova base de formação humana se acumulam. Veja alguns deles no contexto da infância, com o relato de Paula Lannes, pesquisadora da Ciência Logosófica no Rio de Janeiro:

10:18 4734

Fundação Logosófica: o ambiente que impulsiona a evolução consciente

A Fundação Logosófica em Prol da Superação Humana é uma entidade jurídica de direito privado, sem fins lucrativos, e é mantida pelos próprios estudantes de Logosofia, denominados  “Colaboradores Voluntários”.

Por ser de utilidade pública, é supervisionada pelo Ministério Público, que zela pelo cumprimento de seu objetivo social: a difusão do conhecimento logosófico.

Para cumprir esse propósito, a Fundação Logosófica oferece o ambiente e os meios para uma formação continuada de docentes em Logosofia.

Dizemos continuada porque essa capacitação não termina nunca, já que a Sabedoria Logosófica é ilimitada em seus alcances. É por isso que são, ao mesmo tempo, intitulados estudantes e docentes de Logosofia.

Os estudantes e, ao mesmo tempo, docentes de Logosofia, ensinam aquilo que já aprenderam e viveram dos conhecimentos dessa ciência e, por tal motivo, têm como missão — além de difundir o ensinamento logosófico em todas as formas e meios possíveis, tanto individual como coletivamente —, dar o testemunho da sua eficácia, comprovando-a pela aplicação de seus princípios à própria vida.

A Fundação Logosófica tem atualmente 98 sedes no Brasil e inúmeras outras sedes em vários países.

De norte a sul, de leste a oeste, as sedes da Fundação Logosófica têm um ambiente marcado pela conciliação, o interesse pela contribuição do outro, e o afeto — características próprias de um espaço convidativo a todo ser humano que queira superar a si mesmo.

Como a organização é gerida pelos próprios integrantes, toda atividade realizada nela requer a colaboração sincera entre os envolvidos, o que por si só produz uma série de oportunidades de praticar valores como a tolerância, o respeito, a confiança, etc.

Veja como González Pecotche define essa atmosfera construtiva que caracteriza a instituição, em um trecho do livro “Introdução ao Conhecimento Logosófico”:

A este mundo chamado Fundação Logosófica se vem para realizar, justamente, o cultivo das faculdades internas, o despertar de virtudes adormecidas, a extirpação dos defeitos que enfeiam o espírito e a eliminação de deficiências, tudo o que favorece o cumprimento dos melhores anelos.

Em outra passagem do mesmo livro, trata sobre um aspecto essencial da Fundação:

Esta é uma instituição eminentemente experimental e prática. Nela se recolhem elementos muito valiosos para os mais altos juízos do entendimento, graças à observação constante e à experimentação.

Mais que alunos de um Colégio, indivíduos preparados para os desafios da vida

Mais acima, apresentamos a você a pedagogia logosófica, mencionando que ela é a base do programa educativo dos Colégios Logosóficos. Agora vamos pincelar os traços essenciais desse sistema de ensino.

A Escola Primária Logosófica de Montevidéu, inaugurada há 60 anos, foi a primeira das 11 unidades do Colégio que funcionam hoje, sendo oito no Brasil, uma no Uruguai e duas na Argentina.

Em todas elas, os alunos têm acesso ao currículo determinado pelas diretrizes educacionais dos respectivos países, com disciplinas como Matemática, Física, Geografia, etc.

Além do estudo programático dessas matérias, o Colégio oferece um nobre bônus: a prática dos princípios da Pedagogia Logosófica, que dá origem a:

  • um ambiente que acolhe a individualidade de cada aluno, no qual todos são tratados como seres humanos autônomos, não como números;
  • projetos pedagógicos que estimulam o ato de pensar e o cultivo de sentimentos;
  • uma relação equilibrada e complementar entre a família e a escola, em que os pais não são chamados apenas quando os filhos “pisam na bola”.

Pais e alunos de diferentes unidades do Colégio têm algo a contar sobre os pontos que acabamos de citar. Veja alguns rápidos depoimentos:

  • Sérgio Leão e Marli Gonçalves, de Belo Horizonte, pais de dois ex-alunos:

O que nos levou a escolher o Colégio Logosófico foi a preocupação com a formação do caráter dos nossos filhos, a formação de um indivíduo comandante de seus pensamentos e questionador das tendências de uma sociedade culturalmente falida. A orientação logosófica nos deixa seguros de termos feito a melhor escolha na forma de conduzir a educação de nossos filhos, que são únicos, e não mais um numa educação massificada. 

  • Angela Sayuri e Luiz Antonio de Souza, de Uberlândia, pais de uma ex-aluna.

Quando ela nos contou sobre o Livro de Ouro, ficamos surpresos de como ela compreendeu tão bem o seu conceito. Alice ficou feliz por ter feito a capa do seu livro com papel dourado e contou a novidade à mamãe. Agora estamos explorando a imagem desse Livro de Ouro para que ela se recorde de quais pensamentos ela quer deixar registrado neste livro tão especial — que é o livro de sua própria vida! Só temos a agradecer o empenho e a dedicação das queridas professoras que tanto se esforçam para ensinar nossas crianças, estimulando-as a se desenvolverem livres para pensar!

  • Rian Nicolas, de Belo Horizonte, que se formou no Colégio em 2015.

Neste ano (2015), um momento que ficará marcado em minha vida ocorreu durante a Festa da Família: ao entregar a carta destinada à família, meus pais se emocionaram durante a leitura da carta e, ao terminarem, eles me abraçaram e agradeceram por ter um filho como eu. Após isso, passei a refletir e agradecer aos meus pais por tudo que eles já fizeram por mim, além de tentar melhorar como pessoa e como filho.

Qual é a fonte que move a prática de tais valores fundamentais no Colégio? A palavra construtiva de González Pecotche, que criou a pedagogia logosófica com o interesse de que fosse ensinada desde a infância, contém a explicação:

Conseguir que as gerações futuras sejam mais felizes que a nossa será o maior prêmio a que se possa aspirar. Não haverá valor comparável ao cumprimento dessa grande missão, que consiste em preparar para a humanidade futura um mundo melhor.

A missão continua sendo cumprida com sucesso, graças à participação de pais, alunos e docentes em cada unidade. Veja o vídeo abaixo, que mostra mais traços marcantes do ambiente do Colégio:

06:25 13544

Editora Logosófica: produzindo leituras que projetam um futuro melhor

Já mencionamos que o autor da Logosofia expressou os postulados logosóficos em obras literárias de tamanhos, estilos e formatos bastante diferentes entre si. Também falamos um pouco sobre a expansão dessa ciência a nível internacional.

A Editora Logosófica, braço da Fundação que foi criado um ano após o falecimento de González Pecotche, é a instância responsável pela edição, tradução, revisão e distribuição dos livros logosóficos, colaborando na circulação deles pelo Brasil e pelo mundo.

O trabalho desse conjunto, formado por colaboradores voluntários da Fundação Logosófica, é muito desafiador, pois requer um tratamento meticuloso dos materiais produzidos por González Pecotche, para manter a fidelidade do conteúdo à sua fonte de origem.

Essa necessidade vem do fato de que os livros foram escritos inicialmente em espanhol, idioma materno do autor argentino.

Com tão estimulante atividade, a Editora Logosófica lança novas edições de livros impressos, objetivando despertar o interesse dos futuros leitores pela Logosofia com um design cada vez mais atrativo.

Ao mesmo tempo, por ter os direitos autorais completos sobre a bibliografia logosófica no Brasil, a Editora faz a distribuição gratuita de todas as publicações no mundo digital, tanto no site que você está acessando agora, quanto em plataformas como a Amazon.

A instituição também participa diretamente do processo de tradução das obras a outros idiomas. Hoje elas estão disponíveis nas seguintes línguas:

  • Português;
  • Espanhol;
  • Catalão;
  • Hebraico;
  • Esperanto;
  • Italiano;
  • Inglês;
  • Francês;
  • e Alemão.

O dinamismo e a disciplina da Editora permitem que a força expressiva da concepção logosófica seja percebida por leitores de várias partes do mundo.

Afinal, como o próprio autor define nesta passagem do livro “Introdução ao Conhecimento Logosófico”, o conteúdo presente neles tem uma série de particularidades:

Atualmente, estou escrevendo vários livros, livros que não são comuns, porque não os escrevo visando exclusivamente aos seres de hoje, e sim a todo o futuro da humanidade. Em consequência, devo levar em conta muitas coisas, contemplar os mais diversos aspectos e dedicar a maior atenção para que cada ensinamento seja de caráter universal.

Mas a missão não se restringe aos livros, porque González Pecotche também transmitiu seus conhecimentos por outros meios: conferências, entrevistas, conversas diretas com os investigadores logosóficos em diferentes países, artigos publicados em revistas, entre outros.

Os colaboradores da Editora informam que mais de 1 milhão e 400 mil livros de Logosofia já foram baixados nos diversos sites em que estão publicados. Aproveite para ver a lista completa de livros disponíveis para download aqui na plataforma.

Não podemos deixar de mencionar a vasta produção literária logosófica com foco no público infanto-juvenil. As histórias que enriquecem a alma de crianças e adolescentes, apresentando conceitos de grande valor para a vida com analogias e narrativas estimulantes, são publicadas pela Editora Lire, outro braço da Fundação Logosófica.

Você pode conferir uma descrição detalhada de cada livro no site específico da Editora Lire. Veja também um pequeno vídeo sobre as publicações que contribuem para a formação de um mundo mais feliz a cada página:

01:00 4182

A Obra que indica uma nova cultura para a humanidade

A Logosofia é uma ciência que começou a ser conhecida no mundo há 92 anos, quando o pensador Carlos Bernardo González Pecotche fundou a primeira escola, hoje Fundação Logosófica, em 11 de agosto de 1930.

Com seu método original e inovador, a Logosofia vem transformando a vida de milhares de seres humanos, nos cinco continentes, dando-lhes conteúdo, amplitude e possibilidades ainda não desfrutadas pela Humanidade.

A Logosofia inaugura a era da evolução consciente.

Mediante o processo de superação eminentemente experimental, estabelecido por seus preceitos, cada ser humano poderá conhecer a si próprio e utilizar seus recursos internos a nível psicológico, mental e espiritual, em benefício de seu próprio aperfeiçoamento e o de seus semelhantes.

Raumsol, pseudônimo de González Pecoche, definiu a Obra Logosófica como a edificação que indica as bases de uma nova cultura para a humanidade.

Ela é composta pelos pilares que descrevemos ao longo desta página e que agora recapitulamos:

  • uma concepção original sobre o ser humano;
  • um autor que foi exemplo constante do seu próprio ensinamento;
  • uma pedagogia transformadora desde a infância até a vida adulta;
  • livros que estimulam a evolução integral do indivíduo e um ambiente favorável à prática do aperfeiçoamento.

Esperamos que a leitura tenha sido uma oportunidade para ampliar a sua visão sobre as projeções que a Ciência Logosófica pode representar na construção de um mundo melhor.

A propósito, convidamos você a conferir a perspectiva da estudante Marina Alagia, de Belo Horizonte, sobre essa grande aspiração que compartilham os seres humanos, com base nos conceitos apresentados pela Logosofia:

08:30 1305