Biopsicoespiritual: foi na Logosofia que tomei contato com este termo. Até então, jamais o tinha ouvido. Busquei compreender o que era, de acordo com os preceitos logosóficos e tendo a mim mesmo como objeto de estudo, já que a Logosofia é uma ciência de autoconhecimento e de evolução. 

Podemos perceber a realidade de cada uma dessas três partes, observando a própria vida. A parte biológica, todos a conhecemos. A parte psicológica, por sua vez, é objeto de estudo da ciência psicológica. 

A Logosofia e a Psicologia Humana

Para a Logosofia, a configuração psicológica do ser humano compreende  três sistemas: o mental, o sensível e o instintivo. O sistema mental conta com a inteligência, formada por suas faculdades, e com os pensamentos, entidades psicológicas animadas e agentes causais que impulsionam a vontade, determinando a conduta do ser. Conhecê-los é adquirir a chave para evoluir e mudar a conduta de acordo com a própria vontade. 

O sistema sensível, à semelhança do mental, compreende, por um lado, a sensibilidade, composta pelo conjunto das faculdades sensíveis; por outro, os sentimentos, forças existenciais do ser humano. 

O terceiro sistema, o instintivo, diretamente relacionado à parte biológica, expressa-se nas necessidades básicas: fome, sede, sono, sobrevivência, etc.  

Seguindo as orientações do método logosófico, fui comprovando esses sistemas na minha vida e pude tocar, com as mãos do entendimento, essa realidade.

A Parte Espiritual do Ser Humano

Em relação à parte espiritual, pensava que apenas a religião se ocupava dela, mas depois que tomei contato com o conceito logosófico de espírito, foi que me dei conta de que não pensava no meu próprio espírito como parte de meu ser. 

A Logosofia apresenta o espírito como o agente de enlace entre o homem e o Criador

Quem ele é? A Logosofia apresenta o espírito como o agente de enlace entre o homem e o Criador, o inspirador, o acumulador de energias, o perpetuador da existência. Sabe aquela vontade de ser melhor? De onde ela vem? Ou aquela vontade de saber mais, de conhecer mais, de decifrar os enigmas da vida? 

Descobri que cabe a cada um promover a participação do próprio espírito na vida, com a qual será ilimitadamente favorecida. Por isso, precisamos conhecer essa parte divina que todo ser humano possui e que cumpre função essencial para a realidade da vida superior.  

Já experimentei – em momentos singulares, quando necessitava resolver problemas ou enfrentar adversidades que exigem um efetivo esforço da inteligência – a mente se iluminar e apresentar, com grande lucidez, a solução que não conseguia encontrar, oferecendo-me os melhores e mais felizes encaminhamentos!  

Também pude perceber os momentos de êxtase, diante de cenas da Criação, da natureza, que evidenciam a grandeza da Criação e inteligência suprema do Criador! O que me faz experimentar esse êxtase, senão o próprio espírito se manifestando por meio de minha sensibilidade? 

Com esse estudo, ao comprovar a realidade de nossa conformação biopsicoespiritual, mudanças profundas ocorreram no meu viver, que passou a ser mais amplo, mais sereno, mais feliz, além de ter alcançado a certeza de que tenho a grande prerrogativa de definir o meu destino. 

Você também pode gostar de:

Palestra: As duas naturezas do ser humano

Um pensamento de Célia von Kriiger, Marco Cohen
Espiritualidade