Há um desequilíbrio, que tem custado muito caro à felicidade humana. As urgências para atender a parte física são tamanhas, que sugam toda a nossa energia diária. Há em nós uma natureza superior que nos chama e quer viver. As pessoas, em sua maioria, vivem pela metade, atendendo a parte física do seu ser e ignorando a outra, que fica desprezada como se não existisse. Quais são as consequências desse espaço que fica vazio em nós? Quando tudo parece não fazer sentido e a depressão quer nos visitar, pode ser um alerta da nossa natureza espiritual. Jarbas Mattos, do Rio de Janeiro, reflete sobre como isso acontece e como agir.

Você também pode gostar de:

Palestra: As duas naturezas do ser humano

Um pensamento de Célia von Kriiger, Marco Cohen
Espiritualidade