Notícias


Tome contato com as ações desenvolvidas pela Fundação Logosófica em todo o país.

Fundação Logosófica faz 80 anos e concentra estudiosos no Brasil

 

Entre 13 e 15 de agosto, se realizará em Brasília o Congresso Internacional de Logosofia. Ciência organizada e estudada em cerca de 20 países foi criada na Argentina, pelo pensador e humanista Carlos Bernardo Gonzalez Pecotche, que viveu até 1963. Este ano a Logosofia completa 80 anos de existência e o presidente do Conselho de Administração das Fundações Logosóficas do Brasil, Valdenir José Dircksen, médico otorrinolaringologista, comenta, na entrevista abaixo, como a proposta de conhecimento das próprias deficiências pode colaborar com a construção de uma sociedade menos inquieta. O Brasil concentra a maior parcela de estudantes de Logosofia no mundo.


1. Como o senhor define a sociedade atual?

As necessidades humanas são muitas e a sociedade atual vem empreendendo esforços no sentido de se organizar para atendê-las. No entanto, é claramente perceptível que esta mesma sociedade não está conseguindo atender as necessidades individuais e de conjunto. É indiscutível também que apesar de todos os avanços nas mais diversas áreas da atividade humana, o ser humano continua infeliz, inquieto e sempre sentindo necessidade de muito mais do que tem conseguido.


2. Como o senhor define a Logosofia passados 80 anos de sua criação?

A Logosofia é uma ciência que propicia ao ser humano conhecer a si mesmo e os fatores que interferem na sua vida. Dessa forma, seus estudiosos vão criando a possibilidade de encaminhar melhor as questões da vida individual, familiar e de conjunto. O investigador da Logosofia não tem a solução dos problemas de imediato, mas torna-se um elemento positivo dentro do contexto e mais útil para a sociedade.


3. Quais os princípios da logosofia?

A Logosofia parte do princípio de que o ser humano é capaz de realizar mudanças na própria vida a partir do conhecimento dos fatores que determinam a conduta Por exemplo, na medida em que cada um vai conhecendo os próprios pensamentos, identifica aqueles responsáveis por sua forma de ser. Ao aprender sobre as faculdades da inteligência, aprende a conduzir a vida de outra forma. As leis universais estão presentes em toda a Criação, é o caso, por exemplo, da lei de herança. Herdamos, a cada instante, todas as consequências dos atos que fazemos e também do que o conjunto faz. E é costume perceber-se com mais facilidade que herdamos o ruim; mas nós herdamos, também, todo o bem, todos os avanços, todas as facilidades, as inumeráveis descobertas que a cada dia tornam nossa vida mais fácil. Aprender a ver isso nos torna mais gratos e, naturalmente, mais felizes. A ingratidão talvez seja uma das maiores causas da infelicidade humana, porque nos faz sofredores crônicos, enquanto a gratidão, ao contrário, nos torna mais humanos e mais felizes.


4. Por que estudar logosofia?

Porque o ser humano existe com a finalidade maior de aperfeiçoar-se e, da mesma forma, colaborar no aperfeiçoamento dos demais. Não existe ventura maior que esta de sentir-se útil a si mesmo e ao semelhante.


5. O Brasil tem muitos estudantes?

São milhares de filiados na Fundação Logosófica, porém o número de estudantes é difícil de precisar. Alguns números podem ser indicativos.

Por exemplo: já foram publicados e vendidos em torno de 2 milhões de livros e revistas de conteúdo inteiramente logosófico; são 20 mil cadastrados no site de divulgação da Fundação Logosófica por meio do qual estes recebem, periodicamente, materiais de estudo; em uma dezena de Colégios Logosóficos já passaram milhares de alunos que ali aprendem a conduzir suas vidas pautadas em conceitos que são a base para construir uma vida honrosa; milhares de cursos e palestras foram realizadas nos últimos anos. Assim, são incontáveis os seres que, de alguma forma, vem tomando contato com esta nova ciência.


6. É possível a aplicação prática dos estudos logosóficos individuais para o bem coletivo?

A Logosofia declara, e eu tenho esta convicção, de que a solução dos problemas humanos deverá obrigatoriamente passar pelo individuo. É este que pode realizar as mudanças internas que depois se manifestam em uma conduta superior. É o indivíduo, enquanto ser pensante, consciente e responsável, que pode influir positivamente no meio onde atua, iniciando pelo meio familiar, de trabalho e de relacionamento social.

Nenhum esforço de mudança coletiva deve ser menosprezado; porém, a sustentabilidade de qualquer mudança está na evolução dos indivíduos que integram a sociedade.


7. Como uma pessoa pratica a logosofia?

Os conceitos logosóficos são a expressão da verdade que está expressa na Criação e, consequentemente, está em todos nós. Ao estudá-los nos deparamos com a própria realidade interna, que vai despertando naturalmente a vontade de saber mais, de ser melhor, de ser mais útil. A aplicação dos conhecimentos logosóficos inicia-se na vida interna e se traduz em uma conduta condizente com os mais elevados valores humanos.


8. Há exercícios práticos?

No método logosófico, cada um vai descobrindo os ensinamentos à medida que se interna em si mesmo. O método propicia ao ser humano estudar tudo o que experimenta e experimentar tudo o que estuda. Exemplo, quando estudo que os sentimentos precisam ser cuidados para que não sejam lesados, estou estudando um conceito. Na hora que fecho o livro e olho para minha família, tenho a oportunidade de praticar o que acabei de estudar, porque estão ali os seres pelos quais eu tenho os melhores sentimentos; mas uma palavra mal colocada, uma impaciência ou uma intolerância, pode me conduzir, imediatamente, a atuar em desacordo com a preservação desse sentimento. Esta prática vai levando a construção de nova individualidade, com consciência e controle das próprias ações.


9. Os resultados dos estudos logosóficos são práticos, mensuráveis?

Não existe nota. O que temos observado é que cada um é o justo herdeiro dos próprios esforços, ou seja, uma educação regular da Logosofia promove mudanças de vida que se reconstrói. Uma dedicação sem muito empenho, já não leva a isso. É interessante perceber a vida conduzida de forma consciente.


10. Quais os critérios para ingressar no estudo da Logosofia?

No Brasil, a Fundação Logosófica tem as portas abertas a todos e promove atividades para o público. Naturalmente que se fixam na Instituição, pessoas que nos trechos iniciais mostram afinidade pelo estudo e disposição de fazer mudanças na própria vida. Na Fundação, estamos para realizar, mas também para colaborar.


11. E qual o aspecto curioso que poderia caracterizar a importância da presença de estudantes estrangeiros no Congresso como os de Israel que vivem um grande conflito social?

Os conflitos sociais são a expressão do que está no povo; não podemos dizer que só os dirigentes de uma determinada região do mundo são responsáveis por uma ou outra situação. Sempre há relação entre os conjuntos de mentes que formam uma nação e seus dirigentes. Mas também é verdade que, em uma nação, sempre existe nos indivíduos uma luta pessoal, de busca de conhecimento, para conduzir a vida melhor e isso ultrapassa as fronteiras dos problemas nacionais.


12. Quando acabam os estudos?

A Logosofia tem como objetivo o aperfeiçoamento do ser humano. Como a perfeição é um ideal à frente da realidade, não existe um término do estudo. É como qualquer estudo, quanto mais se sabe, mais consciência se tem do que falta saber.  

 
 

 

Cadastra-se Projeto Cultural